Mas afinal o que é piso vinílico?

Mas afinal o que é piso vinílico?

Saiba qual é a história, do que é feito, quais são os tipos e os formatos de um dos revestimentos mais utilizados no mundo

Piso vinílico Essence 30
 Piso Vinílico Bergônia Linha Essence® 30 – Tarkett

 

Fácil de instalar, prático de manter, conforto térmico e acústico são alguns dos benefícios oferecidos pelo piso vinílico que o fazem um dos revestimentos mais especificados para projetos residenciais, comerciais e corporativos do mundo.

Embora cada vez mais comum no Brasil, muita gente ainda fica em dúvida quando é preciso entender e explicar o que é, do que é feito e quais são as possibilidades de aplicação desse piso.

Por ser a líder mundial na fabricação de pisos vinílicos, ninguém melhor do que a Tarkett para conta tudo o que você precisa saber sobre esse material. Confira:

Quando e como surgiu o piso vinílico?

No final do século XIX, o piso mais utilizado na Europa era o de linóleo. À época, esse revestimento era feito com materiais naturais como farinha de pinheiro, óleo de linhaça e base de juta.

Diante das restrições na extração dessas matérias-primas, as indústrias de revestimentos precisavam de uma alternativa mais viável e a encontraram em um polímero sintético de plástico descoberto por Eugen Baumann em 1872.

Piso de linóleo Etrusco Silencio Tarkett
Piso de linóleo: hoje somente três empresas no mundo ainda fabricam esse tipo de piso – entre elas a Tarkett

Você pode encontrá-lo na literatura técnica como policloreto de vinila, cloreto de vinila ou policloreto de vinil, mas é pelo acrônimo PVC que esse plástico se tornou um dos materiais mais conhecidos e utilizados no mundo.

O PVC é desenvolvido a partir de uma mistura química que converte elementos básicos do petróleo em um composto unificado. No processo, elementos como o cloro e o etileno são combinados e dão origem ao policloreto de vinila.

Nas últimas etapas de fabricação, a depender dos aditivos e outras substâncias utilizados, o PVC pode tomar diferentes formas e características, dando à indústria inúmeras possibilidades de aplicação.

Com o início da produção industrial do PVC no início do século XX, surgiu o precursor dos pisos vinílicos: o Paviflex®, também conhecido no mercado como um Vinyl Composition Tile (VCT).

Piso Vinílico Paviflex Natural Tarkett
 Loja com pisos da linha Paviflex® Natural da Tarkett: precursor dos vinílicos hoje é uma opção sustentável fabricada com plastificante biodegradável à base de óleo de soja e com mais de 95% de matérias-primas naturais

Do que é feito um piso vinílico?

Por ser leve e flexível, você já deve ter ouvido falar do piso vinílico como um ‘piso emborrachado’. Porém, a borracha não faz e nunca fez parte da composição dele. Outro engano comum é confundi-lo visualmente com o laminado que, na verdade, é um piso composto por derivados da madeira natural.

Para fabricar um piso vinílico, utiliza-se o PVC numa mistura com outros elementos como cargas minerais, plastificantes, pigmentos e aditivos. A depender da quantidade utilizada de cada ‘ingrediente’, obtém-se pisos de características diferentes que podem ser mais ou menos flexíveis, resistentes, acústicos, entre outros atributos para atender a um leque variado de necessidades do mercado.

Piso Vinílico Algodão Linha Ambienta Coleção Series - Tarkett
Piso Vinílico Algodão Linha Ambienta Coleção Series – Tarkett

O Paviflex, por exemplo, possui uma pequena quantidade de PVC (de 3 a 4%) e muita carga mineral na composição, o que faz dele um piso menos resistente mecanicamente. Por outro lado, é um piso leve, rápido e criativo de se instalar.

Diferente da madeira e seus derivados, o piso vinílico é imune a pragas como o cupim e não apodrece em contato com a umidade. Outra vantagem a se destacar na composição dos vinílicos é o impacto na boa qualidade do ar interno.

Todas as soluções em revestimentos da Tarkett possuem baixos níveis de emissão de Compostos Orgânicos Voláteis (COVs) e também estão livres de substâncias tóxicas como os formaldeídos e os ftalatos na composição.

Quais são os tipos de piso vinílico?

Depois da criação do VCT, o piso vinílico em manta surgiu em meio a busca por uma opção que podia ser armazenada em rolos e que fosse mais fácil de aplicar em áreas maiores.

Assim surgiram os pisos vinílicos em mantas homogêneas (HO), que levam mais PVC e menos carga mineral e plastificantes na composição, originando superfícies monolíticas flexíveis e menos quebradiças cuja massa única vai determinar o que será o desenho.

Piso Vinílico Homogêneo Eclipse Premium
Pisos vinílicos homogêneos (HO)

Diante da limitação de desenhos nos materiais homogêneos, foi necessário desenvolver um piso vinílico em manta com várias camadas, ou seja, heterogêneo (HE) – uma base construída com menos carga mineral e plastificante e mais PVC tal como um HO, mas que permitisse a inclusão da impressão de desenhos, cores e texturas totalmente personalizadas.

Essa evolução na fabricação de um piso em várias camadas permitiu também a criação de uma nova solução modular em placas e réguas do tipo Luxury Vynil Tile (LVT), o mais nobre tipo de piso vinílico, pois é fabricado a partir de várias camadas finas, de diferentes composições, agregando atributos que o tornam mais flexível, durável e fácil de limpar.

 

A Tarkett possui o mais amplo portfólio de LVTs do Brasil para atender as necessidades de projetos residenciais, comerciais e industriais. O símbolo desse mix é a Linha Ambienta®, marca lançada há 12 anos e hoje sinônimo de piso modular no Brasil com as coleções Click, Design, Make It, Textile, Stone e Series.

Quais são as formas de instalar o piso vinílico?

Uma das grandes vantagens do piso vinílico é a instalação rápida e limpa. Você pode instalá-lo sobre pisos antigos – o que facilita muito as reformas que precisam ganhar tempo e reduzir o quebra-quebra.

O piso vinílico pode ser instalado diretamente sobre o contrapiso de cimento, lajes de concreto, cerâmica e porcelanato nivelados e com juntas menores de 5 mm, além de mármores e granitos polidos. Porém, não pode ser instalado sobre a madeira – clique aqui e saiba todos os contrapisos que podem e não podem receber o piso vinílico.

Para um resultado perfeito, os pisos vinílicos em placas, réguas e mantas antes de serem instalados necessita de uma massa autonivelante para que o contrapiso esteja firme e nivelado. Nos tipos colados, também se faz necessário um adesivo específico, produtos que também podem ser encontrados com a marca Tarkett.

Instalação piso vinílico colado
Instalação do piso vinílico colado

Quem prefere ganhar mais tempo na instalação pode optar pelos pisos vinílicos clicados, cujo encaixe das placas e réguas por ‘clique’ dispensa o uso de adesivo na instalação. Com a Linha Click® da Tarkett, por exemplo, é possível realizar o sonho de ter um piso novo instalado em até dois dias.

Piso vinílico Click
Piso vinílico clicado

Ao contrário do que ocorre na instalação de pisos laminados ‘clicados’, os pisos vinílicos com sistema de encaixe não precisam reservar espaço entre o piso e a parede para dilatação. No entanto, diferente dos modelos colados, os clicados nunca podem ser lavados.

Seja qual for a forma de instalá-lo, a dica é sempre aguardar o período de aclimatação do produto ao ambiente, que dura por volta de 24h. Você pode conferir essa e outras dicas de instalação neste post.

A Tarkett sempre recomenda que a instalação de qualquer tipo e formato de piso vinílico deve sempre ser realizada por profissionais capacitados e com experiência na colocação desse material.

Conseguimos deixar mais claro o que é o piso vinílico e as diferentes formas que você pode encontrá-lo no mercado? Se você ainda tiver alguma dúvida, fique à vontade para perguntar nos comentários!

2 Comments

  • Sergio Pimenta
    Posted julho 2, 2020 11:51 pm 0Likes

    Como esse piso se comporta ao trabalho(dilatação e contração), causado nos materiais pelas diferenças de temperatura?
    Não corre risco de rachar?

  • Daniel Jesus Santos De Sá
    Posted junho 10, 2020 9:44 pm 0Likes

    Coloquei piso vinilico na parede ficou bem colocado depois de um tempo começou a encher de bolhas

Leave a comment